Construindo Sonhos

Construindo Sonhos

Últimos Posts (Fui Eu Que Fiz)

  • Vestido Floral

    Postado dia 27/02/2016 às 15:50 Fui Eu Que Fiz

    Olá gente! O post de hoje é sobre expectativas, realidade, soluções  e aprendizados na costura. Bom, pra começar, quem sempre anda por aqui sabe que em dezembro do ano passado eu concluí um curso de modelagem. Aí, decidi dar continuidade aos estudos em casa e tentei fazer minha primeira modelagem sozinha, sem a assistência da professora, como acontecia nas aulas. O primeiro passo foi pesquisar o modelo. Encontrei a inspiração no Pinterest. Um tubinho, com um recorte triangular vazado na frente e uma aplicação em renda. Fiz a modelagem e fui comprar o tecido. Queria seguir a foto - inspiração, com estampa floral grande. Encontrei uma musseline que achei linda e ainda estava em promoção (formou! - pensei…). Levei pra casa, molde sobre o tecido… comecei a cortar. No momento da costura, os problemas começaram a aparecer. Simplesmente o tecido não dava um bom caimento no recorte vazado, que ficava assim com a aparência de uma boquinha murcha… hahaha. E quando coloquei a aplicação de renda, a situação ficou ainda pior… Só Jesus na causa! Bom, percebi que a escolha do tecido foi completamente infeliz e que provavelmente em um tecido com elastano, o resultado seria bem diferente. Mas só que eu não queria desperdiçar minha musseline estampada linda, então parti para o plano B. Como a saia reta, no final das contas, tinha ficado mais justa do que era para ficar, comprei mais tecido (já que estava baratinho), e fiz outra saia, dessa vez evasê com umas preguinhas. Consegui aproveitar ainda um pouco do tecido do primeiro vestido e cortei a peça do meio da blusa, agora sem o recorte vazado. E o resultado foi esse vestido bem romântico e soltinho que vocês estão vendo nas fotos. Confesso que depois percebi que  a estampa combinou bem mais com essa modelagem do que com a anterior. Mesmo com tantos percalços pelo caminho, no final fiquei bem feliz com o resultado e com as várias lições aprendidas com mais essa experiência. Apesar de ver as coisas dando errado, não perdi a paciência nem por um minuto, porque não aceitava a ideia de nadar e morrer na praia. Sabia que poderia acabar sem o meu sonhado vestido com recorte triangular, mas com algum vestido eu iria sair dessa história. Nisso tudo, demorei bem mais tempo que o normal fazendo essa peça, mas foi super proveitoso, porque inclusive, rendeu um vídeo para o meu canal do Youtube, mostrando como fazer a parte de cima toda forrada e com as costuras embutidas. Quem ainda não viu clica AQUI pra ver.     Mas se vocês querem saber se eu desisti do modelo inicial, quero dizer que não desisti não! E já estou trabalhando nele, só que dessa vez escolhi uma sarja acetinada com elastano. Em breve, espero mostrar o resultado pra vocês. Um beijo e até a próxima!

    ...ler mais
  • Uma blusa e três looks

    Postado dia 07/11/2015 às 12:12 Fui Eu Que Fiz

    Olá gente! Quem costura profissionalmente ou não, sabe que fim de ano é sempre aquela correria. A gente quer colocar em dia projetos atrasados, preparar o guarda-roupa para as festas e ainda pensar nos presentes! Pois bem, a costura de hoje não é bem uma peça que eu planejei para o fim do ano. Para falar a verdade, ela já estava pronta há algum tempo. Mas justamente por conta da agitação, só agora está sendo apresentada aqui a vocês. Foi um daqueles projetos que exigiu um pouco mais de mim. Uma blusa com peplum, mas com recortes geométricos na linha da cintura, que deram um trabalhinho além do normal para costurar. Com as dicas da minha professora lá do curso de modelagem acabou dando tudo certo! O modelo está na edição de maio da revista Manequim. Eu o utilizei como exemplo no vídeo que gravei sobre como copiar os moldes das revistas, quem quiser conferir é só clicar AQUI. Comprei 1,60 m de neoprene. Escolhi preto, porque por incrível que pareça, tenho pouquíssimas roupas nessa cor e todo mundo precisa de um pretinho, nesse caso, uma pretinha básica! rs Achei o modelo super versátil, é tanto que trouxe três composições pra vocês. Mas certamente as possibilidades vão muito além desse número. Eu tinha planejado costurar essa blusa para usar no inverno, já que é de manga longa e o tecido é um pouco grosso e encorpado. Mas a estação acabou sem que eu tivesse colocado a mão na massa para costurá-la. O bom é que nas noites da primavera e também do verão será possível vestí-la. Pois é gente… é isso. No momento não estou costurando nada pra mim, já estou trabalhando nos presentes de natal que pretendo dar. Em breve teremos um post aqui no blog sobre isso! Um beijo grande e fiquem com Deus!!!

    ...ler mais
  • Um vestido e muitas lições - as atrapalhadas de uma costureira em construção

    Postado dia 26/08/2015 às 21:25 Fui Eu Que Fiz

    Oi galera! Olha eu aqui outra vez!  Estava sentindo falta de ter um daqueles papos bem francos com vocês. Daqueles em que se escancara os erros, sem medo de ser feliz, sem dúvidas de que aprendeu a lição e de que pode ajudar alguém a aprender também. No reveillon de 2013, lá estava eu toda animada me programando para passar o ano novo pela primeira vez, com um vestido branco feito por mim. Escolhi o modelo na Manequim e parti para comprar o tecido. E já é aí, no comecinho dessa história que as coisas começam a dar errado. A revista sugeria gorgorão de seda para a parte externa do vestido, tule de seda para a pala de cima (pegando os ombros e as mangas também) chifom para forrar o tule e failete para forrar o restante do vestido. Não encontrei o gorgorão, então levei cetim de algodão. Muito esperta, (sem querer gastar muito e com medo de fazer uma peça forrada, já que nunca tinha tentado antes) sentenciei meu vestido a não ter forro: “ah, não precisa”! - Pensei. No mais, segui as compras obedecendo à lista (segurem essa informação rs). Faltavam 3 dias para a virada do ano quando iniciei o projeto. Cortei o tecido e fiz as marcações, identificando todas as peças escrevendo os nomes e tudo mais com giz de alfaiate amarelo, até aí tudo normal. Comecei a costurar. Quando conclui o top, bastou uma olhadinha para as cavas para perceber a falta que o forro fez. Ele serviria como acabamento para elas! Nossa! Pode parecer óbvio para muita gente, mas pra mim na época não era. Eu costurava há apenas um ano e me virava praticamente sozinha para descobrir as coisas. As cavas ficaram “cruas”. Solução?! Dá uma dobradinha pra dentro e passa uma costurinha! kkk Para completar o vestido era branco, apesar de o tecido não ser fininho, o forro daria uma segurança a mais. Parou por aí? Nada!!! Na hora do corte, as partes das costas não ficaram do mesmo tamanho. O erro só foi percebido depois que o zíper já estava costurado. Um lado ficou lá em cima e outro lá em baixo (já até contei isso por aqui, meio por alto). Esse “detalhe” consegui resolver. Passei uma noite quase inteira acordada, fazendo o bordado com miçangas e pedrarias na pala do vestido. O dia seguinte já era 31 de dezembro. Logo de manhã cedo coloquei o vestido pra lavar e quando secou fui conferir se estava tudo ok. Lembram das marcações com giz de alfaiate que eu tinha feito? Elas continuavam lá!!! Para resumir, passei o dia todo lavando o vestido, tentando todas as receitas imagináveis para retirar o giz. Tudo o que consegui foi apenas amenizar um pouquinho (bem pouco mesmo) a situação. Já sem muita esperança de usar o vestido costurado por mim, ainda corri no shopping e comprei um vestido branco, só pra garantir. No fim das contas, bati o pé e decidi ir com o meu feito em casa mesmo. Nas fotos já não dá pra perceber tanto (até porque o tempo passou), mas está escrito a palavra “frente”, apesar de ter sido no avesso, dá pra ver pelo direito e naquela época era ainda mais perceptível. Meu marido disse: “à noite não vai dar nem para notar”. E acabei indo para minha festa de ano novo na praia, com o vestido mais atrapalhado da minha vida inteira! Desde esse dia aprendi a importância do forro em uma peça, de cortar o tecido com mais atenção e deixei o giz de alfaiate de lado. Passei a utilizar giz de lousa comum (quem assiste meus vídeos sabe), nunca mais me senti segura para usar o de alfaiate outra vez. Não quero testar outras marcas ou cores, simplesmente não arrisco mais! Tudo isso me parece muito cômico hoje em dia (afinal, triste da criatura que não consegue rir de si mesmo, não é?). Agora chegou a vez de vocês! Alguém aí tem uma história atrapalhada ou engraçada para contar que acabou servindo de lição? Deixem aqui nos comentários. Um beijo enorme e até a próxima!

    ...ler mais
  • Blazer xadrez

    Postado dia 26/07/2015 às 21:34 Fui Eu Que Fiz

    Oi pessoal! Esse foi um daqueles projetos que eu não estava planejando fazer. Mas aí passando em frente à loja, vi o tecido e me apaixonei. Um linho xadrez e bem quentinho. Daí pensei: combina com aquele molde que tenho em casa! Quem tiver a revista e quiser tentar, é a Manequim de setembro de 2013, modelo 388. Já andei falando aqui do meu medo de costurar blazer. Uma peça que eu sempre gostei muito, mas que achava ser uma missão impossível. Tô começando a superar isso, êba! Comecei por modelos sem muito detalhes, como o casaquinho Chanel que já publiquei aqui. E agora apostei nesse, que também não tem botões, bolsos embutidos ou golas complicadas. Esses desafios serão vencidos sim, mas só que numa próxima etapa. Por falar em gola, essa foi a parte que eu mais gostei de costurar nessa peça. A gola é dividida ao meio e é uma continuação da parte da frente, não é uma peça à parte. O que ajuda muito a quem ainda não é expert! A estampa em xadrez está super na moda e gostei muito do tom. Aqui trago para vocês mais inspirações de blazer xadrez, para já irem pensando nos próximos projetos. Já adianto que o próximo tutorial do blog, será um vídeo ensinando a fazer essa bolsa de mão em couro. Beijos e até a próxima!

    ...ler mais
  • Chique no inverno - Casaquinho Chanel

    Postado dia 29/06/2015 às 16:48 Fui Eu Que Fiz

    Olá pessoal! Tudo bem?  Hoje eu trago para vocês o resultado de um casaqueto que terminei de fazer no finalzinho da semana passada. Ele é um clássico da moda, um casaquinho estilo Chanel que fiz para enfrentar o friozinho que anda fazendo aqui na minha cidade.     A escolha do molde   O modelo escolhido está nas páginas da revista Molde & Cia de Junho/2014. Só que lá o casaco aparece bem imponente, feito em pelúcia com detalhes de corrente contornando toda abertura da frente e do pescoço. Escolhi dar uma cara mais básica, mas mesmo assim elegante. Comprei um brim (que de perto lembra um jeans molinho) e cetim azul marinho para o forro (que vocês podem ver porque nas fotos tô usando com a manga dobrada para fora, para fazer essa composição de tons entre as cores do casaco e do forro).   Fazendo uma peça modelo antes da definitiva   Na verdade esse casaco é um teste. Antes dele já havia comprado um piquet rosa e um cetim para fazer esse modelo. Esses dois tecidos não foram tão baratos assim e tinha um fator que poderia complicar. Eu nunca tinha feito um casaco forrado e estava com muito medo de botar tudo a perder! rs Então, foi aí que veio a ideia de ir até uma loja de retalhos e comprar dois tecidos baratinhos para fazer uma experiência, se desse certo eu partiria para o outro com os tecidos mais caros. E para a minha  felicidade, deu tudo certo sim! Meu medo maior era forrar as mangas, eu não tinha muita ideia de como fazer e por conta disso fiquei protelando…cada vez que me lembrava do casaquinho com as mangas para forrar me esperando na minha salinha de costura, dava aquele friozinho na barriga e eu acabava adiando. Mas enfim, vi que tudo era bobagem minha e tá aí o casaquinho Chanel feito e super confortável! Já estou pronta para costurar outro dele!!! rs. O bom de tudo isso é que tirei uma lição que repasso para vocês. Se não estiverem seguras em relação ao projeto, se é a primeira vez costurando determinada peça, vale a pena sim dedicar um pouco mais de tempo realizando testes, estudando o modelo. A experiência que se ganha na primeira vez, com certeza irá facilitar para uma próxima. Não posso terminar esse post sem antes compartilhar com vocês um vídeo que ajudou muito, mas muito mesmo nesse processo de forrrar as mangas do casaquinho.   E aqui eu deixo um pouco mais do meu resultado.  As fotos foram tiradas em um espaço temático chamado Sítio São João, que reconstruiu um vilarejo rural tipicamente nordestino do século XIX. Olha o que eu achei! Uma máquina de costura das antigas!!! A bodega.   Outras inspirações de casaquinho Chanel   Para quem de vez em quando está dando uma passadinha aqui pelo blog para conferir as novidades, quero adiantar que dentre os próximos posts teremos um passo a passo de costura bem simples de fazer. Um grande beijo e até breve!

    ...ler mais
  • Carregar mais posts ▾